Poema fruto de uma citação

Opa! Trago boas novas, leitores!
Dois jovens escritores se mostraram interessados em compor para o Escritos Digitais juntamente comigo e com o Mat Spessotto. Nós analisaremos alguns textos e, quem sabe, tenhamos em breve mais posts durante a semana.
Outra boa notícia é que o Escritos Digitais fez um ano! Aeee! õ/
Parabéns pra gente!
Queria agradecer a todos os leitores por todo esse tempo.
O poema de hoje eu me baseei em um trecho de uma mp3 ao vivo que minha irmã tem aqui em casa. De uma música da dupla Victor e Léo. Não gosto de sertanejo, mas devo confessar que o cara falar isso me tocou. E lá vamos nós.

"Existem duas maneiras de um homem amar verdadeiramente uma mulher. A primeira é quando ele é o melhor amigo dela e acaba se apaixonando, enquanto a segunda é quando ele se apaixona por ela e aprende a ser seu melhor amigo"

Canto I

Há apenas duas maneiras de amar
Cada uma de modo próprio e singular
Duas maneiras que mesmo importantes
Não deixam de, às vezes, serem humilhantes

Uma maneira de amar
Começa com amizade a brotar
E depois de bem consolidada
Percebe que é ela a amada

Primeiro é a amizade que nasce
E não importa quanto tempo passe
Um dia, em um coração interessado
Nascerá um amor desejado

Talvez venha em demasia
Que até cego perceberia
Outras vezes escondido
Permanecendo subentendido

Mesmo que pelo outro lado não desejado
Será sempre de seu amor acompanhado
Mesmo que sem com ela poder falar
Mesmo que seu amor não possa realizar

E mesmo que em noite transformada
Sua vida, pela amada
A ela continuará amando
A ela sempre estará desejando

Canto II

Outro jeito de amar
Começa com o clássico apaixonar
E mesmo que sem conhecê-la
Vai sempre tentar prendê-la

E por ela apaixonado
Mesmo que, sem querer, ignorado
Um dia pode acontecer
De uma nova amizade nascer

E o outrora amor carnal
Passa agora a ser espiritual
Ele não deixa de amá-la
Mas passa, agora, a admirá-la

O que acontece, entretanto
É que nesse meio tempo, o pranto
O ataca e o entristece
E, em si mesmo, ele padece

Todavia, sempre há possibilidade
De novo amor a probabilidade
E num momento bem pensado
Ele também se sentir amado

E então, o que acharam?

2 comentários:

Mateus Spessotto disse... / 7 de julho de 2010 22:01  

Disse tudo cara, amizade e amor são coisas que nescessariament devem andar juntas, senão não é amor, né?
Otimo como sempre cara, continue assim ;D

Bella Klein disse... / 18 de julho de 2010 12:29  

Esse poema me fez pensar na tradição indianda de que o amor é contruído ao longo do casamento com a amizade em primeiro lugar. Se todos os casamentos fossem baseados na amizade nao haveriam tantas separaçoes e familias rompidas.
Simplesmente AMEIIIII,João!