O que é que eu faço?

Eaeee leitores, tudo bom? Bom, eu não estava muito inspirado para escrever coisas bonitas sobre o amor, então o post de hoje vai falar de solidão. No poema, o eu-lírico sente falta da Lua, mas não é mesmo da Lua que ele sente saudades, é só uma metáfora, ele sente falta de sua amada. Espero que gostem, boa leitura :D


O que é que eu faço?

Lua, diz pra mim, porque é que tem que ser assim?
Você não vê que eu faço tão bem pra você quanto você me faz?
Será que você já não gosta tanto assim de mim?
Me diz, Lua, por que está me deixando pra trás?

Não faz isso com esse ser que te ama
Que eu preciso de você aqui comigo
Não vou conseguir mais deitar na cama
Sem ter alguém pra ouvir o que eu digo

E você foi embora tão de repente
Que não percebi se era verdadeiro
Mas finalmente a solidão se tornou presente
Quando a minha única companhia era o travesseiro

Com os olhos molhados, eu fico a espiar
Com os olhos inchados, espero você ver
Se essa noite você vai se esconder
Ou no céu estrelado você irá brilhar

Curtiram pessoal? Comentem aí o/

4 comentários:

João Alcim disse... / 11 de março de 2010 17:10  

Tenso, mas muito fera. Curti. Pago pau pras suas rimas, Mat.

Mateus Spessotto disse... / 12 de março de 2010 09:36  

valeu ai cara ;D

amanda disse... / 18 de março de 2010 16:21  

se acalme pois sua lua não irá te deixar..
em nenhum momento ela deixou de te amar..

Mateus Spessotto disse... / 18 de março de 2010 16:31  

é muito bom poder ouvir isso, posso dormir bem de novo ;)