Minha musa

Opa... Segunda-feira significa post aqui no Escritos Digitais. É um post que fala sobre a musa do eu-lírico. Espero que gostem.

Minha musa

Qual é a musa que me entretem?
Qual é a musa de onde minha inspiração vem?
Ah! Quão formosa ela é
Tão leve e bela qual passo de ballet

E tem uma bela capacidade
Jamais vista em outra cidade
E, se quisesse, ela o faria
Mudaria o meu fel em mel, a noite em dia

Como pode tão bela criatura ser
E próximo dela estar eu não poder
Sem ela aqui, fico eu, pena e papel
E o mel tornado novamente em fel

És a essência do meu ser
És a razão do meu escrever
És tu que fazes de mim trovador
Quando livra-me de toda dor

Sem ti não posso mais escrever
Sem ti trovador não posso ser
Porque és a minha eleita
És minha musa perfeita!

E aí, o que acharam? Comentem!

2 comentários:

Patrícia disse... / 21 de junho de 2010 12:26  

Se musa = figura inspiradora, a que te entretem é a SUA musa... ou por você adotada.

Mas... se você mesmo a acha tão leve, diria até "volúvel" sem medo. Este é um poema romântico mescla(ou sera que camufla?) uma poça de lama em nuvens de algodão.

Antes de tudo sempre acreditarei em você ... porque você que cria a sua musa. Sem você ela não é nada, apenas uma idéia/imagem qualquer.

Mateus Spessotto disse... / 21 de junho de 2010 19:06  

Woow! Muito maaassa cara! Paguei um tronco pra essa HASUHSAUSAH