Síntese de amor

Não tenho comentários sobre o poema de hoje. Eu tinha pensado em algo quando escrevi, mas esqueci. Então, só posso esperar que gostem.

Síntese de amor

Uma garota desconhecida
Em pouco conhecida
Por ela caiu de amor
Puro e verdadeiro amor

Em cruel dúvida estava
Com ele, ela acabava
O que sentia devia dizer
Apenas depois de a conhecer

Mas num futuro não tão distante
O presente seria gritante
Espada de dor transpassa-lhe a alma
Destruindo sua prezada calma

Terminou ali abatido
Como um anjo caído
Apenas ele e sua dor
Estava só o trovador!

O que acharam?

3 comentários:

Mateus Spessotto disse... / 24 de maio de 2010 14:22  

Fico legal cara... trise, mas massa :D HUSAHASUHAS

Patrícia disse... / 25 de maio de 2010 16:28  

Bem... vamos ao meu "o que aprendi com o seu poema":
engraçado como passamos tanto tempo ao lado de pessoas e não reparamos nelas... são "apagadas" perto de outras. Do dia para noite, falando exageradamente, viram grandes estrelas nas noites das festinhas de amigos.
as vezes sentimos vontade de fazer/falar algo movidos pela emoção... e nossa razão nos condena! mas sempre seguimos nosso coração quando tão puro é o sentimento que acabamos num abismo sem igual! ADOREI *-*

Bella disse... / 27 de maio de 2010 17:49  

táa muito bom ,de verdade ^^