Saga de um solitário trovador - Parte XI

Opa! Segunda rima com poema no Escritos Digitais! Opa... Nem tanto assim, mas tanto faz. Confiram! É da saga!

Saga de um solitário trovador - Parte XI

Dentre tantos, sente-se só
Descem lágrimas nos rostos alheios
Mas nenhuma delas lhe causa dó
E a vida... Ah! Ela sempre lhe pôs arreios

Lágrimas tantas ao seu redor
A elas está impassível
Achava-se em situação melhor
Mas sustentá-la tornou-se impossível

Quando na face rosada
De um linda dama
Rolou uma lágrima perolada
Lágrima da garota que ele ama

Uma única mais poder teve
Do que juntas todas as outras
Mesmo que quisesse não as deteve
Rolaram umas lágrimas poucas

Abraços apertados
Aquele seria o fim
Não era o esperado
Mas ocorreria assim

Uma dor transpassa-lhe a alma
Era essa a dor da separação
Ficava sem toda a sua calma
Perdia toda a sua razão

O abraço interrompido
Pelo tempo forçados
Sobreviventes de um amor não corrompido
Estão agora separados

Da partida a dor
Da tristeza a dança
Dentre eles o amor
Do reencontro a esperança

O que acharam? Comentem!

1 comentários:

Patrícia disse... / 9 de outubro de 2010 21:40  

*-* owwnt... ti lindo =D

amor puro... igual aqueles d criancinha :D

leitura suave e fluente o/
adoguei ^^