A dança

Bom... Não são só alegrias que nos dão inspiração. Um amigo meu me disse uma vez: "Escreve sobre isso". Bom, escrevi. Algumas pessoas encontrarão algumas semelhanças com a vida real. A essas, apenas um aviso: Essas semelhanças não são meras coincidências.

Lá vai.

A dança

Quando ao baile cheguei
Uma menina avistei
Traços suaves e simples
Cabelos e olhos negros
Um nariz fino e belo
Lábios rubros e finos

E a valsa começou
Nenhuma outra
Minha atenção chamou
Além daquela
Que na entrada
Eu avistei

Graciosamente sentada
Não a vi bailar
Será que não sabia?
Será que não queria?
Só vou saber se
A chamar para dançar

Até ela eu fui
Seus olhos fitei
A sua suave mão
Eu beijei
-Gostaria de comigo
Colocar-se a dançar?

Um sorriso se abriu
E uma melodiosa voz disse:
-Sim, vamos
Mais uma vez sua mão peguei
E para a pista de dança
Eu a levei

Possuía o hálito fresco
Como a hortelã
Os sedosos cabelos
Com a suave fragrância
De rosas do campo
Que acabaram de colher

E ficamos ali a dançar
E dançar...
E o tempo passou...
E o baile terminou
E ela foi embora
Será que a verei de novo?

Para minha surpresa
Sempre frequentamos
Os mesmos bailes
E aqui dentro, a cada noite
Um novo sentimento
Nascia e crescia

Em todos os bailes que vinham
Ela dançava comigo
Talvez isso que
Deu coragem para que
Eu pudesse contar
Tudo o que sentia

-Minha doce garota,
Não tens ideia
De quanto me enamoro.
Desde nossa primeira dança
É em ti que eu penso.
Apenas em ti

Para minha nova surpresa
Ela me olhou fundo
Os olhos, outrora,
Belos e suaves
Eram agora,
Olhos de raiva

Aquela doce garota
Parecia agora
Um ser irritado
Virou-se e foi embora
E ali fiquei,
Sozinho...

Nunca mais apareceu
Em qualquer baile
Que eu fosse
Ah! Se eu soubesse
Que seria essa a reação
Nada disso eu faria

De todas as maneiras
Tentei encontrá-la
Mensageiros...
Cartas...
Presentes...
Nada.

Ah! Doce garota
Queria apenas lhe dizer
Que contigo dançar
Foi, para mim,
O céu e o inferno
Paraíso e condenação

Comentem. õ/

6 comentários:

Lari disse... / 10 de agosto de 2009 16:28  

levar um fora da guria...
um assunto nada poético, qe vc transformou num belo poema

muito bom joão :D
está se superando ^_~

Faany disse... / 10 de agosto de 2009 17:42  

caraca, e eu axando q seria um poema extremamente romantico com um finaal lindo :P
q coisa maais trágica ;x
maas assim como a lari falou, vc fez de um história um tanto dramática um envolvente poema..
;)

Camila disse... / 10 de agosto de 2009 17:59  

Maridinho, vc sabe o qe penso sobre esse assunto... entaum naum falarei do tema.
Quanto ao poema: muitoo lindo! parabéns! até eu qe num sou mto de poemas gostei *--*
mto bom meesmo ;)

te adooro
beijos

bella disse... / 11 de agosto de 2009 18:48  

É como vc disse,João,qualquer semelhança não é mera coincidência.
Quanto ao poema,está maravilhoso!Parabéns mais uma vez!E como disse a Lari e a Fany,um assunto desses descrito de uma forma magnífica e muito bela!
bjos

Pollynha disse... / 13 de agosto de 2009 12:51  

adoreii :D esse final ficou fabuloso :3

Carol disse... / 15 de agosto de 2009 08:47  

...dançar!
tpw,parece bem físico,no entanto,é bem subejetivo quando aliada ao coração!
Lindu o poema!!^^
soube usar tristeza com delicadeza!♥