Para uma amiga

Olá, amigos!
Depois de um longo e tenebroso inverno - mais longo do que tenebroso, cá estou novamente. Foi triste para mim deixar o blog jogado às traças como ficou, mas pretendo voltar a postar semanalmente como antes. Bom, o poema de hoje foi feito seguindo a ideia que uma amiga me deu. Espero que curtam.

Para uma dama muito versada chamada Patrícia

Imóvel, aparecia na sacada
sob a luz da lua cheia iluminada
E a brisa suave que soprava
Sua pele ligeiramente gelava

Com os olhos distantes, pensando
Com a mente distante, admirando
A imensidão do Universo lá fora
A beleza do lugar onde mora

Lembrava-se de tempos idos
De sentimentos perdidos
Perde-se em sua fantasia
E, ao longe, uma coruja pia

Recorda de dóceis momentos
E de um ou dois tormentos
Mas, no geral, ela estava feliz
Revivendo essas perfeições infantis

E se no leste aparece um luzeiro
Mesmo que a aqueça por inteiro
Ilumina a tensa e fria cidade
E a retorna para a escura realidade

E aí? Comentem!

1 comentários:

Patrícia Schettini disse... / 25 de maio de 2011 19:05  

Owwntt *-* perfeitooo

Como é triste sair do meu mundo as vezes... e ver a triste realidade das coisas... viver nas estrelas sob a lz da lua é tão perfeito...tão perfeito q não eh verdade!

Obrigadaaaa!!!! *-*

bjs